Filhotes nasceram em setembro.Foto: Ivan Feitosa/Pref. Rio Preto.

A Primavera, época de procriação das aves, trouxe novos moradores para o Bosque de Rio Preto.  Fechado desde março, o zoológico municipal anunciou hoje (4) o nascimento de 6 filhotes de Ema. O nascimento aconteceu em setembro.

A ema, também chamada nandu, nhandu, guaripé e xuri, é uma ave da família Rheidae cujo habitat se restringe à América do Sul. A  espécie mede 1,50 m de altura e pesa cerca de 25 quilos quando adulta e apesar de possuir asas grandes, não voa e as utiliza para se equilibrar e mudar de direção na corrida. Podem atingir até 60km/h enquanto correm.

Considerada a ave mais antiga do continente americano, a ema-brasileira é a maior ave da fauna brasileira. Essa subespécie pode atingir quando adulta entre 1,40 e 1,70 metro de altura e pesar em torno de 35 kg. Vive em áreas campestres, de cerrado e caatinga. No cerrado aberto, corre em grupos de 15 a 20 animais.

O macho da espécie entoa um canto na época reprodutiva, com notas profundas e potentes e ele mesmo choca os ovos postos por várias fêmeas num ninho cavado no solo. Antes de procriar, ele escolhe o melhor território para a montagem do ninho e a escolha das parceiras. Quando o ninho está cheio de ovos, o macho expulsa todas as fêmeas e choca os ovos.

O período de incubação é de aproximadamente 45 dias. A expectativa de vida em cativeiro é de aproximadamente 40 anos. Trata-se de uma espécie ameaçada. São encontradas principalmente nas regiões Centro-Oeste, Sul e Nordeste do Brasil.

Os filhotes nascidos em Rio Preto são filhos de um macho que veio em 2010 de Catanduva, que cruzou agora com fêmeas nascidas aqui.