O projeto tem 3 anos e as frutas começam a ser usadas neste ano. Foto divulgação

 

A indústria de Bebidas Poty se prepara para começar a produzir seu guaraná com frutos cultivados na Amazônia. A empresa, localizada em Potirendaba, participa de um projeto de expansão da cultura do Guaraná por meio da Sabores Vegetais do Brasil, unidade do mesmo grupo (Empresas Franzotti), sediada em Manaus e focada na produção de aromas, concentrados e extratos.

José Luiz Franzotti, diretor presidente da Bebidas Poty, classifica o projeto, que visa incentivar pequenos produtores, como uma das mais importantes iniciativas voltadas à melhoria do cultivo do guaraná na Amazônia. “Teremos um guaraná de melhor qualidade valorizando o fruto característico do Brasil, com um sabor que faz sucesso no mundo inteiro, em um projeto sustentável”, avalia.

O plantio do guaraná na Amazônia começou há 3 anos e a primeira safra é neste ano. O projeto envolve também a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Secretaria de Desenvolvimento do Estado do Amazonas.

O Projeto intitulado Expansão da Guaranaicultura – Criação do Corredor Metropolitano da Cultura do Guaraná é desenvolvido pela Embrapa Amazônia Ocidental, envolve 790 famílias de pequenos agricultores reunidos em três cooperativas e seis associações nos municípios de Manaus, Rio Preto da Eva, Iranduba, Presidente Figueiredo e Maracapuru. Até agora foram plantadas seis mil mudas distribuídas nas propriedades familiares em um total de 20 hectares.

Além do incentivo ao plantio, a Bebidas Poty apoia a criação de um jardim clonal para produção de mudas de guaranazeiros. O BRS Maués, variedade deguaraná plantada no projeto, é o clone mais indicado para plantio no Amazonas. Enquanto a produtividade de um guaranazeiro nativo é de cerca de 300 g de semente seca por ano o BRS Maués deve produzir até 1,5 kg por planta/ano.

Os produtos da Poty são comercializados nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. O foco maior é o interior de São Paulo, por uma questão de logística. E nos últimos dois anos a marca começou a entrar no mercado paulistano, uma das prioridades para este ano.