Leandro Pinto é proprietário do Grupo Mantiqueira e cria 11,5 milhões de galinhas. Foto divulgação
Considerada a maior granja da América latina, com 11,5 milhões de galinhas, a Ovos Mantiqueira e a família Abilio Diniz vão doar ovos para mais 1 milhão de famílias.
As doações começaram em abril com a entrega de 1,3 milhão de ovos para cem mil famílias e agora chegarão à marca de 12 milhões de ovos distribuídos.

Para viabilizar a doação nas regiões mais carentes de alimentos, a granja tem o apoio dos projetos União Rio, União São Paulo, CUFA, Gerando Falcões e Gastromotiva, que estão aproximando as empresas e a sociedade civil organizada. Os ovos serão distribuídos em SP e RJ nos próximos três meses. O valor do investimento está estimado em R$ 5 milhões.

“A Mantiqueira sempre teve um forte DNA solidário e não poderíamos simplesmente cruzar os braços diante da situação desafiadora que estamos vivenciando em nosso país. Por isso nos unimos no combate à fome nessa missão que beneficia milhões de famílias. Ficamos felizes com o envolvimento dos nossos funcionários e fornecedores nessa corrente do bem. Sairemos desta pandemia mais unidos para apoiar as dificuldades da população brasileira”, explica Leandro Pinto, presidente dos Ovos Mantiqueira.

“Estamos empenhados em fazer chegar a mais e mais famílias uma alimentação de qualidade e nutritiva. Neste sentido, o ovo é essencial porque é uma fonte muito rica em proteína e o segundo alimento mais completo da natureza, atrás apenas do leite materno. Por isso é tão importante que esteja presente nas cestas que serão entregues às pessoas mais afetadas pela crise do coronavirus. Neste momento crítico que estamos vivendo, precisamos agir rápido e tomar medidas efetivas para atender quem mais precisa. Estamos muito satisfeitos com essa parceria”, afirma Pedro Paulo Diniz, da Península Participações.

Entidades que farão a distribuição dos ovos:

• Banco da Providência (@bancodaprovidencia): trabalha para redução da desigualdade social de famílias em pobreza extrema pobreza no Rio de Janeiro;

• CUFA (Central Única das Favelas) (@cufabrasil): organização de apoio social aos jovens nas comunidades de todo Brasil;

• Casa do Zezinho (@casadozezinho)): voltada para crianças e jovens em situação de risco na cidade de São Paulo;

• Banco de Alimentos (@ongbancodealimentos): ajuda a alimentar pessoas em vulnerabilidade social em São Paulo;

• Gerando Falcões (@gerandofalcoes): atua em periferias e favelas de todo o Brasil com projetos focados em esporte e cultura para crianças e adolescentes, e na pandemia através do programa “Corona no Paredão Fome Não”;

• Gastromotiva (@gastromotiva): atua no Rio e em São Paulo como receptores de doações de alimentos que são enviados para instituições parceiras que precisam de ajuda. Estão fazendo e servindo refeições para população em situação de insegurança alimentar.