Domingo Braile se considerava um médico do sertão, mas foi um ícone no tratamento do coração. Foto arquivo

Neste domingo (22) São José do Rio Preto amanheceu de luto: faleceu aos 81 anos, vítima de pneumonia, o médico Domingo Marcolino Braile, o criador da válvula cardíaca que elevou o nome de Rio Preto como referência em medicina, com a Braile Biomédica. “Sou médico do sertão. Acho a palavra sertão muito forte, boa. Sou do sertão”, costumava dizer em suas palestras.

Dr. Braile lutava contra a pneumonia há semanas. Faleceu em casa, ao lado da esposa e das filhas.  Acamado há mais de 3 anos por sequelas de uma cirurgia na coluna vertebral, o cirurgião lutava contra mais uma pneumonia que, em seu caso, eram recorrentes.

Dr. Braile e as filhas Valéria e Patrícia, em foto de 2014. Foto Marcela Castelini

Foi o pioneiro da cirurgia cardíaca no interior do Brasil, fundador da Braile Biomédica e Instituto Domingo Braile e deixa a esposa Maria Cecilia Braga Braile, as filhas Patricia Braile Verdi e Valéria Braile Sternieri, os genros Luis Antônio Verdi e Walter Sternieri Jr e os netos Rafael, Sofia, Giovanni e Luiza.

NÃO HAVERÁ VELÓRIO. A família solicita que cada um dos amigos eleve suas orações a Deus de suas próprias casas.

Confira aqui, uma de suas palestras, quando ele participou dos 94 anos da Acirp.