O sorvete de bolinhas é feito com nitrogênio líquido com creme de leite e leite. Foto Ricardo Boni

Uma tendência mundial acaba de chegar no Riopreto Shopping neste mês dezembro: um sorvete feito com bolinhas de creme de leite e leite. A Mini Orbe é uma gelateria criada por Tiago e Gustavo Azem e surge com um cardápio cheio de saborosas mini bolinhas de nitrogênio líquido. “Escolhemos o Riopreto Shopping para lançar a primeira loja do Brasil por acreditar no potencial do empreendimento como um dos mais expressivos do interior”, contam os empresários.

 O processo de criação do Gelato é fiel às etapas de produção do sorvete Premium, onde ingredientes naturais e frescos são pasteurizados, maturados e saborizados. Quando combinados com a tecnologia futurista que congela as bolinhas, o resultado é uma imersão de sabor memorável e inimaginável.

As bolinhas, de inúmeros sabores, são servidas em potes e dão uma sensação diferente ao tocarem na língua. A textura é idêntica a de qualquer outro sorvete, mas por serem várias bolinhas, cada uma derrete em uma velocidade diferente causando surpresa.

O cardápio traz opções de Potes, Sundae, Shake e Sundae Kids com dedoches e balas que explodem na boca. Entre os sabores os destaques são Baunilha Negra, Bolo de Cenoura, Panacota, Iogurte Grego, Cheesecake com Goiaba, Banana Split, Blue Ice Pinta Língua e Açaí Frutado.

As bolinhas são criadas pela Criogenia – um ramo da físico-química que aborda tecnologias capazes de produzir temperaturas abaixo de -150°C com nitrogênio líquido – um fluido incolor, inodoro, insípido que produz congelamento instantâneo. A futurista que dá forma ao Gelato Mini Orbe é a junção da criogenia com o nitrogênio líquido, que resulta na boa conservação do produto em razão do congelamento instantâneo dos ingredientes, armazenados a uma temperatura de -40°C, em freezers desenvolvidos exclusivamente para o Gelato do futuro, chamados “Extreme Freeze Box”.

Desta forma, o gelato congela rapidamente, sem formar cristais de gelo, proporcionando imediata captura de sabor e texturas. “O efeito visual impressiona e ao mesmo tempo diverte, evitando o acúmulo de ar, como acontece com alguns sorvetes tradicionais que são compostos por até 100% de ar”, explica os empresários Tiago e Gustavo.