Helvécio Maciel mora no Pantanal e já viveu em tribos indígenas no Alto Xingu. Foto divulgação

Uma das novidades da próxima edição de O Braseiro Entre cortes é uma estação que terá jacaré e Pirarucu, o maior peixe da Amazônia. O assador é um Old School Butcher (açougueiro à moda antiga), que tem 29 anos de experiência com carnes. Ele é também um pesquisador do universo do churrasco: entre 2000 e 2003 viajou o Brasil de Norte a Sul à procura de conhecimento e novidades. Ele nasceu em Brasíla (DF), mas já conviveu com os índios das tribos do Alto Xingu, onde conheceu carnes exóticas de “sabores e texturas únicas”. Também passou por vários países da América Latina. Helvécio Maciel vive no Pantanal (MS) e estará em São José do Rio Preto no dia 24 de novembro para comandar a estação que promete atrair muita gente que aprecia novidades. Ele conversou com a coluna e anuncia que prepara uma surpresa para os fãs de assados exóticos.

Comer, Beber e afins em Rio Preto – O jacaré é um prato comum na mesa do pantaneiro?

Helvécio Maciel – Sim! Não só no Pantanal, mas como no Norte e parte do Centro Oeste na região hidrográfica do Araguaia.

Comer, Beber e afins – É difícil preparo?

Helvécio – Não, super fácil por se tratar de proteína tão nobre.

 Comer, Beber e afins – Qual o sabor?

Helvécio – A carne do jacaré é branca, firme e tem textura semelhante a do frango, com um sabor levemente voltado para o peixe e com baixo teor de gordura .

Comer, Beber e afins – O que o senhor faz com a pele do bicho?

Helvécio – Uma grande parte fica aqui mesmo no brasil e a outra exportamos.

Comer, Beber e afins  – O senhor considera o jacaré um prato exótico que está em ascensão na culinária brasileira?

Helvécio – Sim, uma carne exótica por se tratar de um animal da nossa fauna, de sabor único e por ser uma das proteínas mais saudáveis hoje no mercado; vem ganhando cada vez mais espaço nos grandes restaurantes da alta gastronomia. Temos o orgulho de dizer que o maior frigorifico de jacaré do Mundo é brasileiro: o Caimasul fica em Corumbá (MS). Além de ser o maior do mundo, hoje tem um plantel de 90 mil jacarés na engorda e mais, é um projeto totalmente sustentável, que na minha concepção é o mais importante de tudo.

Comer, Beber e afins – Qual o bicho mais exótico que o senhor já preparou?

Helvécio – Nas aldeias indígenas juntamente com os índios, com uma técnica chamada moquear, preparamos macacos e tartarugas.

Conhecido como o gigante da Amazônia, o Pirarucu é outra especialidade de Helvécio Maciel. Foto divulgação

Comer, Beber e afins – O Pirarucu é um peixe enorme e que vem sendo constantemente consumido pelo brasileiro. Qual é o diferencial da carne do Pirarucu?

Helvécio – O Pirarucu é conhecido como o gigante da Amazônia e não é à toa. Ele tem uma carne fantástica em textura e sabor.

Comer, Beber e afins – Qual o segredo no preparo do jacaré?

Helvécio – Jacaré não tem segredo no preparo. É só tomar cuidado de sempre estar hidratando por se tratar de uma carne com pouca concentração de gordura.

Comer, Beber e afins – Churrasco de Jacaré é só para os fortes?

Helvécio – Nunca! Como disse, é uma carne muito elegante, tanto os fortes quanto os fracos se rendem à essa proteína tão nobre .

Comer, Beber e afins – O público recebeu bem seu churrasco de jacaré?

Helvécio – Sim! E por se tratar de uma carne diferente, as pessoas ficam curiosas para provar. Geralmente somos os campeões de filas nos eventos …kkkk

Comer, Beber e afins – O que teremos na sua estação no Braseiro Entre Cortes, que acontece em novembro em Rio Preto?

Helvécio – Jacaré   e o Pirarucu já são certos, mas acredito que teremos uma 3ª proteína que será surpresa. Mas, já  adianto que será uma carne exótica também. Aguardem.

Comer, Beber e afins – Carne exótica? Não será macaco né?

Helvécio – Claro que não! (risos) Macacos só os índios e comunidades autorizadas podem caçar.