Aline Girardi é a idealizadora do projeto Puro +.
O casal Aline e Paulo Girardi: projeto para distribuição do Puro + para todo Brasil em 2018.

São José do Rio Preto, cidade referência em medicina, agora também é a primeira do Brasil a produzir um suco prensado a frio, detox e com ativos da Amazônia. O Puro + é um suco que segue as tendências mundiais de cuidados com a saúde, através do chamado alimento líquido. Por ser prensado a frio, ele mantém as características dos ingredientes que o compõe, sejam frutas ou legumes.

O Puro + possui uma composição de 7 sucos com sabores que contém ativos da Amazônia, hortaliças e frutas frescas. É um suco antioxidante e recomendado por médicos para tratamentos principalmente de doenças do coração.  “Durante uma viagem a Nova Iorque experimentei o Press Juice (a marca já chegou ao Brasil e é vendida em SP). Decidi investir no negócio e colocar ativos da Amazônia na composição”, conta Aline Girardi, idealizadora do empreendimento.

Quem é adepto da alimentação saudável já sabe: suco prensado a frio têm ingredientes variados, cores fortes e sabores exóticos. E é a última tendência no mercado para quem busca saúde e alimentação orgânica. O negócio de Rio Preto deu tão certo que, em 8 meses de produção, a marca Puro +, já está em dezenas de pontos de venda na cidade, chega na capital em fevereiro e planeja fechar o primeiro semestre de 2018 com distribuição para todo Brasil.

“Nosso produto visa atender à área da saúde. Escolhemos Rio Preto para investir nisso por se tratar de uma cidade polo estratégico em logística e referência em saúde”, explica Aline.

A proposta já chegou aos consultórios: a Clínica Braile, uma das principais no tratamento de doenças do coração, já adotou o Puro + como referência Detox para seus pacientes.  Para conhecer o produto basta acessar o site www.puromais.com.br

A marca, que surgiu tendo como público alvo a classe A, vai colocar em prática um projeto para reduzir as embalagens em 2018 e atingir também a classe C. “Nossa meta é ampliar a distribuição e baratear o produto”, revela Aline.

COMPARTILHAR