O Tamanduá Bandeira: praticamente extinto no cerrado brasileiro.

Um dos animais símbolo do cerrado brasileiro, o Tamanduá Bandeira está em extinção no país pela perda de seu habitat natural. É o que revela pesquisa de Gisele Lamberti Zanirato, feita para sua tese de mestrado. “O impacto da perda e fragmentação do habitat sobre a ocupação e o padrão de atividade do tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla)”é o título da pesquise realizada dentro do Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce), Câmpus da Unesp, em São José do Rio Preto.

No estudo a pesquisadora percebeu  que algumas espécies de mamíferos modificam seus padrões de atividade frente às perturbações antrópicas e até em relação aos efeitos da perda de habitat. Considerando o status de conservação da biodiversidade no estado de São Paulo e a classificação do tamanduá-bandeira como vulnerável à extinção, estudos em um dos poucos remanescentes de Cerrado no nordeste do estado tornam-se prioritários à conservação da espécie.

Os dados de presença e ausência dos tamanduás-bandeira em cada um dos vinte fragmentos de vegetação nativa localizados no nordeste do estado de São Paulo foram coletados através de armadilhas fotográficas. A influência da temperatura e da pluviosidade na probabilidade de detecção dos tamanduás e a importância das covariáveis de fragmento e de paisagem na probabilidade de ocupação dos fragmentos pela espécie foram avaliadas através de modelos de ocupação de estação única. Apesar da área do fragmento não influenciar o padrão de atividade dos tamanduás, a conservação de fragmentos maiores e com maior porcentagem de vegetação nativa ao redor é de grande importância para a sobrevivência de tamanduás-bandeira no nordeste do estado de São Paulo.

Na região de Rio Preto é comum Tamanduás Bandeira serem encontrados mortos ou gravemente feridos por queimadas em áreas de cana e pastagens.