O Papa Francisco foi à Fátima participar das comemorações do centenário da aparição.
O Papa Francisco foi à Fátima participar das comemorações do centenário da aparição.

O jornalista riopretense André Botelho  comemora um encontro inesperado: ele conseguiu apertar as mãos e conversar com o Papa Francisco, no último sábado (13), no santuário de Fátima, Portugal. André contou ao blog que programou há tempos a viagem à Fátima para acompanhar o centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima. “ Já há 5 anos trazia no meu coração o desejo de estar no Centenário das Aparições de Nossa Senhora de Fátima. Nem sabia, quando fiz essa intenção, que o Papa estaria aqui”, conta. 

O evento

No último sábado (13) o Papa foi ao santuário de Fátima para anunciar oficialmente a canonização dos meninos pastorinhos que tiveram a visão com Nossa Senhora de Fátima, um dos fatos mais marcantes da história da Igreja Católica. André, que é jornalista, quando soube da visita do pontífice procurou ficar numa posição estratégica, próximo ao trajeto que ele faria para entrar no local. Deu certo. Ele gritou ao Papa que precisava de orações para o irmão Marcelo, morto sem batismo.

Como foi

O momento no qual o Papa o cumprimenta: fato inesquecível.
O momento no qual o Papa o cumprimenta: fato inesquecível.

“O encontro com o Papa foi uma “sorte jornalística”. Observei “movimentações” da organização e estudei o programa para entender onde o Papa estaria. Fui pelo “rastro”.
Fiquei IMENSAMENTE feliz por ter conseguido me aproximar do Papa. Não é vaidade, mas a alegria da “ovelha” que encontra o “pastor”! Tudo foi muito rápido: chamei a atenção do Papa ao pedir que ele rezasse pelo meu irmão mais velho (ele morreu sem o Batismo. Sempre trouxe essa tristeza no meu coração). Francisco se interessou pela minha história. Foi misericordioso! Gesticulou para o segurança, permitiu a minha aproximação. Disse a ele sobre o meu irmão. Falei seu nome (Marcelo) e ele assegurou a oração. Sei que ele rezou. Lembro de ter pedido a atenção do Papa pelas intenções que trazia comigo. E ali se completou o nosso diálogo. Ele me olhou nos olhos. Segurou fortemente as minhas mãos. O vídeo atesta o meu relato. Tudo muito rápido, mas marcado pela intensidade.
Não tenho fotos. Tem um fato curioso: a moça que gravou o encontro tornou-se minha amiga. Conversamos muito sobre aquele momento. No final de tudo é que soube o seu nome: FÁTIMA; igual ao de Nossa Senhora que naquele 13 de maio celebrávamos”. André retorna a São José do Rio Preto no final da semana.